Quantas vezes já pensou em abrir o seu próprio negócio? Como fazê-lo? Optar pela segurança de um franchising ou pela liberdade de um negócio próprio? Dedicar infinitas horas em questões burocráticas, estudos de mercado, modelos de negócio e tantas outras questões para começar um negócio do zero? Ou seguir o caminho de uma ideia já testada e reconhecida no mercado através de uma marca franchisada, optando por um investimento mais acessível?

Num momento em que a criação do próprio emprego se encontra em alta, nalguns casos as dúvidas e as inseguranças tomam conta do empreendedor pois tomar uma decisão desta envergadura não é tarefa fácil. É um assunto que naturalmente implica uma reflexão profunda e demorada pois trata-se de uma decisão que envolve um investimento financeiro significativo e uma grande predisposição profissional. Depois, chega o momento de arregaçar as mangas e decidir por que tipo de negócio optar.

São precisos longos meses de preparação para se iniciar um negócio do zero, considerando a ideia e o modelo de negócio, o nome do negócio, o logótipo, equipa, espaço, produtos, equipamentos, registos, licenças, … uma lista infinita de tarefas. A verdade é que o franchisador já passou por todo este processo e agora oferece a outros empreendedores a oportunidade de investirem num negócio já estabelecido e estruturado. Ideias criativas e inovadoras há muitas. Porém, algumas delas podem resultar no fracasso. O franchising não sofre deste mal pois, logo de início, o franchisado tem acesso a informações sustentadas sobre o negócio, que se tornam fundamentais no momento da decisão final.

O franchisado pode contar com o know-how, experiência e apoio contínuo do franchisador que já detém campanhas e ações estrategicamente definidas para incrementar o negócio, nunca esquecendo que este tem todo o interesse em zelar pelo bom nome da marca. Além disso, o franchisado tem ainda o acesso facilitado aos métodos e ferramentas de produção, comercialização, marketing, entre outras, já desenvolvidas pelo franchisador. No final das contas, o franchisado cria o seu próprio negócio com um investimento mais acessível do que aquele que iria despender se abrisse um negócio do zero, podendo concentrar-se de forma mais vincada na otimização do seu negócio e na sua gestão.

“O franchising é uma das alternativas para criar o seu próprio negócio, talvez a de maior crescimento e sucesso. Infelizmente, na maior parte dos casos, os micro-negócios e os pequenos negócios criados – mais de 80% – fracassam nos cinco primeiros anos. Por que razão? Essencialmente por falta de experiência do promotor. A ideia fundamental do franchising é justamente aproveitar a experiência de quem passou pelo “caminho das pedras”, sobreviveu e obteve sucesso, evitando assim cair nos erros mais comuns que levam ao fracasso dos negócios”. (https://bit.ly/2HvD0He)